Secretarias

Modelo Básico de uma secretaria:

Estrutura Secretarias

Diagrama de funcionamento de uma secretaria:

Secretarias - Diagrama de funcionamento 1

Descrição do funcionamento:

Neste organograma podemos ver no topo um rectangulo arredondado simbolizando a Assembleia Geral. E podemos ver também as outras secretarias ligadas à Assembleia Geral ao lado direito desse rectangulo. Neste exemplo vemos o diagrama de funcionamento de uma secretaria, assinalada como secretaria da educação logo abaixo do rectangulo identificado como Assembleia Geral, e podemos ver que se liga à Assembleia Geral no topo pelo lado esquerdo através do conselho interno desta secretaria.

Neste organograma está exposta a forma como os grupos de trabalho e  militantes podem actuar dentro de uma secretaria. No fim da página vemos um circulo que representa todos os cidadãos militantes, e esse circulo está dividido em partes que correspondem aos grupos de trabalho em que essa porção de militantes delegou a sua representação. Por exemplo, 35% dos militantes, delegou a sua representação ao “grupo 1”. Esse grupo é que faz propostas e decide em representação dessas pessoas que lhe delegaram essa mesma representação.

Seguindo a seta que sai do lado esquerdo desse circulo temos 5 outros círculos agrupados e alinhados verticalmente. Esses são então os grupos de trabalho, os tais a quem os militantes delegaram a sua representação.  Esses círculos estão ligados a uma caixa assinalada com o numero “1”. Essa caixa representa a possibilidade que esses grupos de trabalho apresentem propostas de leis ou regulamentações a aprovar no âmbito de actuação da secretaria da educação. Mas, essas propostas só podem ser apresentadas se os grupos tiverem uma representatividade superior a 5% como é referido nessa mesma caixa, isto para evitar que grupos que sem representatividade possam fazer propostas descabidas e entupir todo o sistema.

Depois de feita a proposta, ela transita pela linha que sai da parte de cima da caixa para a caixa de propostas de leis e regulamentações, onde essa proposta ficará em fila de espera para ser debatida após as propostas que estão à sua frente. A partir daí, chegada a sua vez irá transitar por meio de uma linha para a caixa assinalada com o numero “2”. Nesta caixa é onde a proposta é debatida numa área chamada de Fórum democrático. Aqui todos os grupos e pessoas singulares poderão participar na revisão e aprimoramento da proposta apresentada por um dos grupos e serão registadas todas as propostas de adendas e alterações a essa mesma proposta. No final o grupo que criou a proposta inicialmente irá decidir se irá fazer alguma alteração das propostas no fórum democrático. Contudo, devido aos registos feitos, e tendo por exemplo a proposta tendo sido apresentada pelo grupo 1 ( que tem 35% de representatividade), este tem que incluir as propostas dos grupos 2 e 4 para ter mais de 70%(maioria expressiva) de aprovação para esta ser aceite e passar ao passo seguinte para ser implementada.

O próximo passo é a votação da proposta(caixa assinalada com o número 3), que como vimos tem que agradar à maioria senão não é aprovada. E aqui é que entra um novo conceito importante e que nos distingue dos demais, que é a possibilidade de as pessoas poderem decidir elas mesmas nas propostas que estão em votação. E podem votar directamente todos aqueles que não concordem com a votação que o seu grupo representante fez, ou mesmo aqueles que não tem grupo representante e votam directamente nas votações. Isso está representado por aquela linha que sai da fatia do circulo do canto inferior esquerdo das pessoas pessoas “sem grupo representante escolhido”, e pela linha que sai do circulo que envolve todos os grupos de trabalho sinalizando a discordância dos representados para com a posição do grupo representante. Nestas duas hipóteses os militantes estão obrigados a afirmar a leitura da discussão no fórum democrático em relação a esta questão, para que o seu voto seja o mais informado possível.

Se a proposta for aprovada transita para a Assembleia Geral através do conselho interno da secretaria em causa, onde vai ser debatida a possibilidade e forma de implementação assim como mandatar o grupo criador para a sua supervisão de implementação da mesma.

Conselho Directivo das Secretarias

Serve a seguinte imagem para demostrar como são atribuidos os lugares no conselho directivo das secretarias.

Secretarias - Empossamento Conselho Directivo

As pessoas que irão ocupar lugar no conselho directivo de cada secretaria são oriundas dos grupos de trabalho com mais representatividade. Aquele com mais representatividade também transita para o Conselho Nacional(Futuro governo), e em caso de vitória eleitoral, ocupa o lugar de Ministro no Ministério equivalente à sua secretaria.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s